Depois dos 40: demasiado velha para ser mãe?

Depois dos 40: demasiado velha para ser mãe?

Ideias que podem estar presentes:

  • Em particular para as mulheres que deixaram para trás a “idade típica da gravidez”, ter (mais)um filho parece desequilibrar muitos aspetos da vida.
  • Esta é uma das preocupações mais frequentes: será que a criança é saudável? –  os exames de diagnóstico pré-natal costumam ser feitos com uma grande expectativa.
  • Uma reflexão sobre a sua história de vida pode ajudá-la a entrar em contato com os seus pontos fortes, abrindo possíveis caminhos para o futuro.

Dica: ⚖️ "Aborto: sim ou não?" - para o Teste do Aborto

 

Uma mãe demasiado velha?

A entrada nos “entas” aconteceu há relativamente pouco tempo e, de repente, o teste de gravidez é positivo: surgiu uma gravidez, que é provavelmente inesperada. Esta notícia pode desencadear rapidamente uma verdadeira “montanha-russa” de pensamentos e preocupações:

“Na minha idade, ainda é possível ter forças para ter um filho?”; “Qual a probabilidade desta criança ter alguma deficiência?”; “Como vão os outros olhar para mim, com uma criança tão pequena?”. E talvez também: “O que vão os meus filhos mais velhos dizer sobre isto?”.

Considerando todas estas preocupações, é natural entrar em estado de emergência emocional, mesmo para quem já é uma mãe experiente.
 

 

Planeamento familiar: já estava concluído

Talvez você tenha vivido bem a sua vida até então sem filhos, ou se sinta na dúvida por já ter dois, três, quatro ou mais filhos. No geral, tudo correu bem: espaço em casa, carro, finanças e equilíbrio emocional são exatamente (ou "quase") à medida do número de filhos que já tem ou à vida sem filhos.

Esta gravidez veio, de facto, perturbar este equilíbrio. Há espaço suficiente para esta criança? Vamos ter de passar a viver uma vida cheia de restrições? Esta experiência significa que estamos a começar "do zero" outra vez?

Estas perguntas são legítimas, e é bom pensar em todas estas dimensões com cuidado.
 

 

Pensamentos e experiências pessoais

Especialmente para quem já tem filhos, além de considerações gerais, surgem rapidamente pensamentos ou memórias muito pessoais que alimentam dúvidas sobre a gravidez: “Nesta fase, como posso lidar fisicamente com uma gravidez? Será que tenho capacidade emocional para aguentar as noites curtas do período pós-parto? Será que na creche e na escola vão pensar que eu sou a avó do meu filho?”

Se já tiver experiência em ser mãe, também saberá muito bem quais os fardos que uma criança representa. Por outro lado, a riqueza dessa experiência costuma ser útil para identificar antecipadamente onde pode encontrar apoio e ajuda, caso seja necessário.

ℹ️ A propósito: muitas mulheres relatam que conseguem “aproveitar” a experiência de ser mãe “tardiamente” precisamente por causa da sua postura perante a vida, conseguindo lidar com a maternidade de modo muito mais relaxado.

 

Aceitação depois de muito tempo sem conseguir ter filhos

Talvez você sinta aquilo que muitas mulheres sentem todos os anos: a gravidez surge precisamente quando decide fazer outros planos de vida

É possível que estivesse há vários anos a tentar ter um filho sem sucesso e, assim que se resigna e desiste de ser mãe, dá por si com um teste de gravidez positivo!

É compreensível que não haja alegria nesta situação: as reviravoltas emocionais dos últimos anos podem tê-la deixado esgotada. Além disso, a ideia de ter um filho faz ressurgir todos os medos de uma perda. Apesar de tudo isto, será que consegue identificar uma nova esperança a germinar em algum lugar perdido no seu coração...?

 

Preocupação com a saúde da criança

Independentemente de outras preocupações, quase todas as mulheres grávidas com mais de 40 anos têm uma inquietação em comum: "E se a criança não for saudável?"

 

Probabilidade de deficiência

É verdade que quanto mais avançada for a idade da mulher, mais provável é que a criança nasça com alguma deficiência. No entanto, esta possibilidade não precisa se tornar na sua principal preocupação. Alguns dados:

  • Mesmo para mulheres com mais de 40 anos, uma criança com deficiência é uma exceção, e não a norma. Por exemplo, uma mulher de 40 anos tem 1% de chance de estar grávida de um filho com síndrome de Down.
  • Estatisticamente falando, a maioria das deficiências possíveis são adquiridas após o nascimento, pelo que são independentes da idade da mãe.

Encontre aqui mais informações sobre exames pré-natal.

 

Conquistas de vida e decisões livres

Uma gravidez não planeada que surge tardiamente pode agitar toda a vida interior da mulher. Os anos e as décadas anteriores são frequentemente postos em causa e reavaliados quando se anuncia uma nova reconfiguração familiar.

Nesta situação, é importante ter consciência disto: definitivamente, você é muito mais do que esta crise. É muito provável que já tenha ultrapassado muitas situações difíceis no passado. Neste momento, tem nas suas mãos a oportunidade de tirar o melhor proveito desta situação. Confie em si própria!
 
Gostávamos de a ajudar a (re)descobrir as  suas forças interiores. Elas são uma base importante para a sua decisão, que não depende de circunstâncias exteriores, pressões ou opiniões de outras pessoas, mas que reflete o seu eu interior.

Por isso, reflita com calma sobre a sua história pessoal, acolhendo passo a passo todos os pensamentos e sentimentos e, desse modo, imaginando diferentes cenários futuros. Teremos todo o gosto em apoiá-la e analisar consigo caminhos viáveis para si.

Se desejar, pode entrar em contato connosco e partilhar qualquer outra dúvida e preocupação relacionada com esta gravidez. Estamos disponíveis para si!
 

 

Outros artigos interessantes:

Considera que a informação neste artigo foi útil?