A nossa equipa de acompanhamento em Portugal

Equipa de acompanhamento em Portugal

1302585136 | fizkes | shutterstock.com

Garantia de qualidade do acompanhamento profemina

A profemina tem a sua origem na Alemanha. Ao disponibilizar os seus serviços digitais em língua portuguesa, a profemina  iniciou uma parceria com uma organização local em 2022. Esta parceria permite que as mulheres lusófonas possam também usufruir de acompanhamento individual, na sequência do acompanhamento digital inicial. Ambas as organizações partilham a mesma visão sobre a mulher que vive uma crise na sua gravidez: respeito pela mulher que pede ajuda e ausência de julgamentos sobre ela. Estes foram os critérios principais para o estabelecimento da parceria.

Abaixo evidenciamos alguns dos motivos pelos quais a profemina reconhece muitos dos seus valores na associação Apoio à Vida

 

A nossa instituição parceira em Portugal: Apoio à Vida

A associação Apoio à Vida existe desde 1999. Acompanha cerca de 300 famílias por ano e existe para que nenhuma mulher, com dúvidas relativamente à sua gravidez, se sinta sozinha ou seja levada a abortar por não ter ninguém que a apoie.
Apesar de estar sediada em Lisboa, esta associação de ajuda a grávidas em dificuldade dá resposta a pedidos de vários pontos do país, graças à sua linha gratuita que disponibiliza um serviço de apoio a grávidas confidencial e permanente.

Para além do acompanhamento no processo de tomada de decisão diante de uma gravidez inesperada, a Apoio à Vida oferece outros serviços de apoio psicossocial, individualmente e em grupo. Conta ainda com uma casa de acolhimento temporário para mulheres grávidas, um departamento de inserção profissional e uma escola de formação. Todas estas respostas têm como objetivo a capacitação e autonomização da mulher. 

    Esta instituição tem sido repetidamente distinguida por entidades do setor empresarial privado que reconhecem no seu trabalho uma mais-valia para toda a sociedade. Entre eles, destacamos os prémios BPI “la Caixa” infância, BPI “la Caixa” Solidário, Deloitte Pact Fund, Maria José Nogueira Pinto, Fundação Manuel António da Mota e o apoio regular de empresas como a Brisa, Grupo ETE e Grupo Jerónimo Martins.

    Tal como é possível ler na página web da Fundação Brazelton/Gomes-Pedro para as Ciências do Bebé e da Família, o modelo Touchpoints "consiste numa abordagem teórica e prática de um modelo de desenvolvimento perspetivado em torno de momentos chave (...) que visa potenciar a competência parental na construção da relação pais-filhos e criar uma aliança entre os pais e os profissionais que fazem parte do seu sistema.
    Este modelo aplica-se desde um período pré-natal e estende-se ao longo do desenvolvimento da criança, tendo como paradigma o recém-nascido e uma estratégia prática que promove os alicerces vitais para um desenvolvimento mais saudável.”

    Trata-se de um modelo reconhecido cientificamente que pretende ajudar os profissionais a construírem uma relação capacitante com as pessoas e famílias que acompanham e a reconhecer as oportunidades existentes em cada momento de crise. Com o objetivo de integrar a visão de toda a equipa do Apoio à Vida, em 2021, a quase totalidade da equipa concluiu o Curso Intensivo em Touchpoints, ministrado pela Fundação Brazelton/Gomes-Pedro. Assim, toda a associação passou a saber “valorizar a desorganização”, a “reconhecer que os pais são os especialistas nos seus filhos” e a “valorizar a paixão onde quer que a encontre”, integrando os princípios e pressupostos deste modelo na sua maneira de trabalhar. 

     

    Acompanhamento à mulher grávida em crise: um modelo aperfeiçoado ao longo de mais de 20 anos de experiência

    Ao começar o seu trabalho junto de mulheres grávidas em dúvida quanto a abortar ou prosseguir com a sua gravidez, a Apoio à Vida assentou a sua atuação nos princípios da associação — claramente definidos nos seus estatutos — e no conhecimento trazido pelas áreas de formação da sua equipa: serviço social e psicologia.

    As suas práticas foram sendo enriquecidas pela experiência e com a integração de conhecimentos como o Modelo dos Primeiros Socorros Psicológicos de Brymer et. al (2006), o já referido Modelo Touchpoints de Brazelton (1992), e o modelo utilizado pelo Instituto Nacional de Emergência Médica no Curso Avançado de Psicologia de Emergência (CAPIC, 2013), que deram origem ao Modelo de Acompanhamento da Mulher Grávida em Discernimento do Apoio à Vida.

    Ao integrar a equipa, cada novo membro recebe formação especializada, integra um grupo de supervisão regular e participa em reuniões de intervisão, treino e discussão de casos práticos. Em muitas situações, a equipa trabalha em duplas — uma psicóloga e uma assistente social — o que intensifica o trabalho interdisciplinar e facilita a prática reflexiva. De forma a garantir a qualidade do acompanhamento, a equipa está em constante formação recorrendo, sempre que necessário, a especialistas externos.

     

    Quem são as counsellors da Apoio à Vida certificadas pela profemina?

    Ao selecionar uma counsellor para a sua equipa, a profemina atribui um grande valor à respetiva formação pessoal e profissional. As counsellors da Apoio à Vida certificadas pela profemina possuem habilitações relevantes para este tipo de trabalho: todas têm formação na área da psicologia ou do serviço social. Fique a conhecer um pouco mais sobre cada uma delas:

      Ajudar cada pessoa a construir um projeto de vida feliz e autónomo tem sido o grande foco profissional desta counsellor. 
      Pós-graduada em Ciências do Bebé e da Família e com um curso introdutório em intervenção sistémica e familiar pela Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar, acompanha mulheres com gravidezes inesperadas desde 2014. Com base neste conhecimento e experiência, seleciona e explora os temas dos conteúdos que publica neste site e que, como não podia deixar de ser, visam contribuir para a felicidade de quem os lê.
      Apesar de lisboeta, Mafalda já viveu no Porto, onde se dedicou ao ballet, e em Cabo Verde, o que lhe despertou o desejo de aprender crioulo.

      A família é uma das grandes paixões de Clara, mestre em psicologia clínica e da saúde na vertente sistémica, familiar e comunitária e com formação em intervenção em crise psicológica pelo Instituto Nacional de Emergência Médica. Clara tem experiência no acompanhamento de famílias e de mulheres com gravidezes inesperadas desde 2017. Interessa-se de modo especial pelos temas relacionados com competências parentais e transição para a parentalidade e procura manter-se a par da legislação portuguesa relacionada com a gravidez. 
      Para lá do universo da psicologia, Clara já se dedicou a aprendizagens tão distintas como flauta transversal ou língua gestual portuguesa. Os seus dois filhos atestam que é a melhor mãe do mundo.

      Com experiência em investigação e criação de conteúdos, Maria do Rosário é a responsável pela adaptação dos artigos desta página para português. Por ter vivido dois anos em Paris e colaborado com a equipa da profemina durante três meses em Munique, adquiriu uma flexibilidade e uma sensibilidade particulares no acompanhamento de pessoas com diferentes nacionalidades. 
      Pós-graduada em Logoterapia, trabalha com mulheres que passam por gravidezes inesperadas desde 2015. 
      Nos seus tempos livres dedica-se a viajar na sua pequena scooter e a ler (ou, por vezes, produzir) banda desenhada.

       

      Referências bibliográficas: 

      • CAPIC (2013). Manual de apoio do Curso Avançado de Psicologia de Emergência. Instituto NacionaI de Emergência Médica.
      • Brazelton, T.B. (1992). Touchpoints: your child’s emotional and behavioral development. Massachusetts: Perseus Books.
      • Brymer, M, Jacobs, A, Layne, C, Pynoos, R, Ruzek, J, Steinberg, A, et al. (2006). Psychological First Aid: Field operations guide (2nd ed.). Los Angeles: National Child Traumatic Stress Network and National Center for PTSD. http://www.nctsn.org/content/psychological-first-aid
      Considera que a informação neste artigo foi útil?