Grávida e (possível) mãe solteira

grávida e possível mãe solteira

Ser mãe sozinha: catástrofe ou opção a considerar?

Há uma criança a caminho e a relação com o companheiro está tremida ou já acabou. O que fazer agora? Este artigo é dedicado a todas as mulheres que se perguntam se o seu futuro é serem mães solteiras*.

 

* Tradicionalmente, o termo “mãe solteira” tem tido uma conotação negativa, mas aqui usamos estas palavras para nos referirmos a uma mãe que, corajosamente, educa o seu filho sem o apoio do pai, pelo que rejeitamos essa conotação. Na verdade, olhamos para estas mulheres com um respeito profundo e muita admiração.

Sugestão:

 

Medo de ser mãe solteira

Diante de uma gravidez não planeada, uma das dúvidas que surge com frequência é como continuará a relação entre o casal. De facto, esta situação nova e desafiante pode levantar certas questões que estavam por resolver há bastante tempo

Há várias possibilidades: às vezes, o pai diz que não quer ter nada a ver com a criança. Outras vezes, mantém uma postura mais passiva. Ambas as atitudes podem despertar na mulher grávida este pensamento: “E se eu ficar sozinha, com uma criança nos braços?” 

Ser mãe solteira: é natural e legítimo que a hipótese de ser mãe solteira a assuste. Não é segredo para ninguém que uma tarefa desconhecida, por si, é normalmente assustadora, especialmente se tiver receio de a enfrentar sozinha. 

Ao mesmo tempo, este medo revela que, realmente, você quer o melhor para o seu filho. Será, desde já, um sinal de amor para com esta criança, que se fez anunciar de modo tão inesperado?  

 

Como posso lidar com esta situação?

Há uma velha frase que diz:“quem tem muito medo de alguma coisa, deve fazer tudo o que está ao seu alcance para garantir que isso não acontece, mas ao mesmo tempo preparar-se para a eventualidade disso acontecer”. 

Ou seja, se a preocupação é tornar-se mãe sem o apoio do pai do bebé, o que esta frase sugere é: tentar construir pontes, tornando-as o mais acessíveis possível, com o pai do bebé, de modo a que ele possa estar presente na vossa vida, sabendo, ao mesmo tempo, que ninguém o poderá forçar a isso. 

Esta perspetiva, ou decisão, dá-lhe a possibilidade de passar a agir ativamente na construção do seu futuro.  É uma postura de proatividade ao abordar esta questão. Ao mesmo tempo, está a dar-lhe a liberdade de que ele talvez precise neste momento, de modo a encontrar o seu próprio caminho, livre de pressões. Na melhor das hipóteses, este caminho é em direção a si e ao vosso filho. 

 

Relatos de mães solteiras

O que dizem sobre as suas vidas as mães que educam os filhos sozinhas? Respondendo da forma mais sintética: não é sempre fácil e, por vezes, é mesmo muito difícil. Mas é sempre tão indescritivelmente belo que não trocariam esta vida e este filho por nada neste mundo. 

As mães solteiras que se mostram mais autoconfiantes também costumam dizer que não existem apenas desvantagens no facto de terem de educar uma criança sozinhas. Dizemos-lhe algumas das vantagens que costumam ser mencionadas:

 

💯 Amor a 100%

Criar um filho sozinha significa estar disponível para ele 24 por dia, 7 dias por semana. E também significa ser a principal cuidadora e a figura de referência desta criança. Por esta razão, 100% do amor que ela tem para dar é para si. 

Muitas mulheres testemunham que sentem apenas uma coisa quando o bebé se aconchega feliz no seu colo: o esforço valeu 100% a pena!

 

👩‍👦 UMA equipa

Numa constelação familiar onde só a mãe está presente, todos têm de estar unidos. Quanto mais velhas se tornam as crianças, melhor vão conseguir fazer a sua parte. Antes disso, porém, já se apercebem que elas próprias e a mãe fazem uma boa equipa. A maior parte das mães solteiras refere ter uma relação especialmente próxima com os seus filhos. 

 

💪🏻 Desenvolvimento de "soft skills"

Todos os dias trazem novos desafios que, em geral são completamente inesperados. Contudo, muitas mulheres solteiras acabam por conquistar uma capacidade com o tempo: estruturar tão bem a vida do dia-a-dia, que um pequeno acontecimento inesperado não as faz “descarrilar”. Organização e capacidade de improviso são as palavras-chave. 

Estas chamadas “soft skills” revelam-se úteis não apenas na educação dos filhos, mas também em outras áreas da vida. 

 

👥 Uma rede que funciona

Muitas mães encontram alívio nesta ideia: saber que não são as únicas a viver esta situação. 

Por isso existem, por exemplo, alguns blogs onde mães solteiras falam sobre as suas vidas. Este tipo de página oferece um espaço onde é possível aprender a encarar o caos do dia-a-dia com um sorriso, trocar ideias e encorajar-se mutuamente

 

"Eu não sei se consigo nem se quero fazer isto"

Talvez tenha lido o artigo até aqui mas ainda se sinta na dúvida, insegura ou resistente à ideia porque ainda não sabe se está à altura deste desafio, ou se o quer aceitar. 

 

Completamente sozinha? Não tem de ser assim!

Tornar-se numa mãe que, por enquanto, é solteira, seja por um período de tempo determinado ou, no limite, para sempre, não tem de ser e não devia significar que você vai permanecer sozinha. Investir nas relações familiares e de amizade torna-se mais importante. É bom quando existem pessoas disponíveis para ajudar, conversar ou, simplesmente, em quem possa encontrar um “ombro amigo”. 

Se sente falta de uma rede assim neste momento, pode ser boa ideia ter alguém que pense, em conjunto consigo, na melhor maneira de construir mais relações próximas.  Sinta-se, por isso, à vontade para nos contactar!

Muitas mulheres encontram também um companheiro para a vida passado algum tempo. Por isso, não perca a coragem!

 

Descubra o seu próprio caminho

Nesta situação desafiante é criticamente importante ser capaz de descobrir o seu próprio caminho. Você tem forças e capacidades únicas, e isso é uma bagagem que a vai ajudar. Agora, cabe-lhe a si descobrir como pode tirar o melhor partido desta situação.

Teremos todo o gosto em apoiá-la nessa descoberta através das seguintes maneiras: 

  • ⚖️ "Aborto: sim ou não?" – Faça o Teste do Aborto!
  • 📩📞 Escreva-nos directamente a sua pergunta ou preocupação – Contacte-nos

 

Outros artigos interessantes:

Considera que a informação neste artigo foi útil?