Depressão Pré-Natal

Depressão na Gravidez

Quando parece que existe um véu escuro a tapar tudo o que vemos...

Está grávida e não consegue sentir nenhuma alegria e felicidade neste momento? Há muitas mulheres que se sentem assim durante a gravidez. Com frequência, as causas desse estado são estritamente físicas

Sugestão: ⚖️ Aborto: sim ou não? – Faça o Teste do Aborto

 

Sintomas de uma depressão pré-natal

Alguns sinais que podem ser indicadores de uma depressão na gravidez (pré-natal): 

  • Para si, é difícil sentir alegria e sente-se incapaz de se dedicar às atividades que, antes, lhe davam prazer. 
  • De manhã, só tem vontade de tapar a cabeça com os cobertores e ficar o dia inteiro na cama
  • Tudo é um esforço: pensar, concentrar-se, o dia a dia... Você, simplesmente, não tem energia para nada. 
  • Os seus hábitos de sono alteraram-se: sente que dorme demasiado ou, então, tem ficado às voltas na cama, inquieta e sem conseguir dormir. 
  • Os seus pensamentos andam em círculos, como num carrossel. Você sente-se em estado de alerta e profundamente inquieta.
  • Parece-lhe que tudo está coberto por um manto escuro. Tudo lhe parece demasiado difícil e já não consegue encontrar em si nenhuma vitalidade.
  • Sente pouca ou nenhuma vontade de comer ou, pelo contrário, reparou num aumento significativo de apetite.

Se nota estes sintomas há algum tempo, eles podem dever-se a uma depressão pré-natal.

 

Causas e frequência

A depressão é uma doença mental bastante frequente. Cerca de 15 a 20% das pessoas sofrem desta doença durante o decorrer da sua vida. 

Normalmente, a causa de uma depressão não pode ser determinada com exatidão. Hoje em dia, considera-se que é um “evento multi-fatorial”, ou seja, várias circunstâncias contribuem para esse estado. 

 

Causas biológicas (durante a gravidez)

Há muitas pessoas que, de alguma maneira e devido à sua constituição biológica, apresentam uma pré-disposição para a depressão.  Esta pré-disposição pode ser genética ou um desequilíbrio cerebral químico de neurotransmissores como a serotonina e a noradrenalina. 

Durante a gravidez, as alterações físicas e hormonais têm um papel importante. 

Frequentemente, é difícil reconhecer uma depressão na gravidez logo ao início, dado que muitas grávidas sentem uma hipersensibilidade acrescida por causa das alterações hormonais que, por si só, podem levar a mulher a sentir-se cansada e sem energia. Ao mesmo tempo, os enjoos matinais causam muitas vezes angústia ou falta de alegria. 

Contudo, quando estes sintomas se tornam mais severos e persistem por muito tempo, sem que haja períodos de maior ânimo ou tranquilidade, é possível que se trate de uma depressão pré-natal. 

 

Fatores externos

Uma situação de stress agudo também pode desencadear uma condição pré-existente (latente ou “adormecida”), levando a que se desenvolva um estado depressivo significativo. Geralmente, este estado é acompanhado dos sintomas descritos acima.

As mudanças nas circunstâncias de vida por causa da gravidez podem tornar esse stress mais intenso. 

 

Tratamento: há esperança!

Ainda que, neste momento, a sua situação lhe pareça completamente desesperada, a verdade é que há esperança: 

  • A depressão (pré-natal) é, geralmente, tratável.
  • Com a terapia adequada, tende a diminuir ou a desaparecer após algumas semanas ou meses. 

Por estes motivos, se suspeita que está a sofrer de uma depressão relacionada com a gravidez, é importante falar abertamente com o seu médico assim que possível. Você não tem de continuar a suportar uma dificuldade tão grande! 

 

Tratamento farmacológico

Existem medicamentos que funcionam bem no tratamento de uma depressão e são seguros durante a gravidez: não têm efeitos negativos para si nem para a criança. Estudos recentes sobre este assunto já demonstraram que alguns antidepressivos são seguros na gravidez. 

Quando o seu médico lhe prescrever um antidepressivo pela primeira vez, é necessário que esse medicamento se torne suficientemente presente no seu sangue – isto exige alguma paciência. Normalmente, os pacientes começam a sentir melhoras após cerca de duas semanas

ℹ️ Estes medicamentos, normalmente, são tomados apenas durante algum tempo. Os antidepressivos não criam dependência (ao contrário das benzodiazepinas, por exemplo). Por isso, não precisa de ter receio de ficar dependente. 

Dado que as perturbações depressivas costumam estar ligadas a um desequilíbrio de neurotransmissores, os antidepressivos atuais podem compensar esse desequilíbrio, na maior parte das vezes, causado por um déficit de serotonina ou noradrenalina. 

 

Tratamento psicoterapêutico

Como já referimos, você pode sentir-se otimista e acreditar que em breve se vai sentir melhor. Algumas sessões de psicoterapia também podem ser uma grande ajuda: se necessário, este pode ser um recurso para além dos medicamentos. 

Se você não sofre de uma apatia severa ou de perturbações do sono muito pronunciadas, um tratamento apenas à base de psicoterapia pode ser suficiente para a ajudar, tornando desnecessária a medicação. 

 

Se já passou por uma depressão

Se você já teve uma depressão ou estados de humor depressivos antes de engravidar, talvez já esteja familiarizada com antidepressivos.  Pode sentir-se preocupada por manter essa medicação durante a gravidez. Recomendamos-lhe que converse sobre isso com o seu médico o mais brevemente possível

📍Nota importante: por favor não interrompa de modo abrupto a sua medicação sem falar primeiro com o seu médico. Isso pode levar a um agravamento dos seus sintomas e, o mais provável, é que você possa continuar a tomar esse antidepressivo em segurança. 

 

Sugestões de primeiros socorros

Para conseguir recuperar algum controlo sobre esta situação difícil, reunimos algumas ideias para si. Você pode ser capaz de implementar algumas delas gradualmente e, assim, passo a passo, aproximar-se da luz que a espera no fim de cada túnel


1. Apoio 🤝

Neste momento, ter ao seu lado alguém de quem goste e que a apoie pode ajudar. Alguém em quem você confie e que permaneça consigo mesmo na escuridão. Alguém que continue a olhar em frente quando isso for difícil para si.

Não tem de ultrapassar isto sozinha!

 

2. Não tome uma decisão num estado depressivo

Com base na nossa experiência clínica e de aconselhamento a grávidas, geralmente recomendamos o seguinte: não tome nenhuma grande decisão enquanto se sentir nesta espécie de buraco escuro e profundo. Se neste momento está a pensar se deve abortar ou prosseguir com a gravidez, o nosso conselho é: dê mais tempo a si própria. 

Porque, quando você está deprimida, o mundo tende a parecer muito diferente e muito mais negro do que é na realidade. Por esse motivo, será sensato esperar antes de tomar uma decisão, pelo menos até que esse véu escuro se levante um pouco e você recupere as forças. 

 

3. Alívio através de ajuda médica 👨

Tal como talvez já tenha lido acima, a depressão pré-natal é tratável na maior parte das vezes.  Além disso, um tratamento pode começar a surtir efeito no prazo de apenas duas semanas.

Assim, é recomendável ir ao médico o quanto antes e partilhar com ele a sua situação. Desse modo, você poderá encontrar alívio muito brevemente. 

 

4. Passar tempo na natureza 🌳☀️

Talvez encontrar forças para sair de casa seja muito difícil para si. Porém, se você o conseguir fazer, pode rapidamente descobrir que um pouco de ar fresco e de exercício podem trazer grandes benefícios.

A luz solar, em particular, ajuda a melhorar o estado de humor e é, muitas vezes, recomendada no tratamento da depressão.

 

5. Alimentação adequada 🌮

Talvez, por agora, você não tenha grande apetite, e nem sequer consiga imaginar-se a ter vontade de comer.  Mesmo assim, seguir uma dieta equilibrada vai fazer bem ao seu corpo.

Existe alguém próximo de si que a possa apoiar na cozinha, ou cozinhe no seu lugar? Se, por acaso, “ainda” houver algo que lhe apeteça comer apesar da depressão, vale a pena recorrer a isso. Até pode ser uma pizza ou um hambúrguer, o importante é que seja algo que lhe dê ânimo! 

 

6. Não desista, persista! 🌥

Deixamos para o final aquela que é, provavelmente, a ideia mais importante: aguente e não desista

Talvez seja preciso aguentar as nuvens escuras que estão a tapar o sol durante mais alguns dias ou semanas, até que as coisas recuperem o brilho. Mas lembre-se: por cima das nuvens escuras, o sol continua a brilhar, ainda que, por agora, não seja possível ver isso. E, em breve, vai voltar a brilhar para si também. 

Sinta-se à vontade para contactar as nossas counsellors em qualquer altura. Estamos aqui para a apoiar nesta fase difícil, se você assim o desejar, e ajudá-la a procurar um caminho para continuar: 

 

 

Considera que a informação neste artigo foi útil?