Tabaco, álcool e consumos na gravidez

Tabaco, álcool e consumos na gravidez

Será que prejudiquei o desenvolvimento da criança?

🍷🚬 Uma primeira análise: faça aqui o Teste de Substâncias gratuito! 

  • O consumo de álcool, tabaco, drogas e medicamentos durante a gravidez pode ser prejudicial para o normal desenvolvimento da criança.
  • Felizmente, esta informação pode tranquilizá-la: no início de uma gravidez, quando a maioria das mulheres ainda não sabe que está grávida, aplica-se a regra do "tudo ou nada". Isto significa que, por norma, o consumo de substâncias nocivas durante as quatro primeiras semanas de gravidez não afeta o normal desenvolvimento da criança.
  • Algo a ter em conta durante toda a gravidez: a quantidade destes consumos é que faz a diferença.

Só se apercebeu da gravidez depois de já ter fumado, ingerido álcool ou tomado medicamentos contraindicados numa gestação?
Neste artigo reunimos informações importantes para si.

🍷🚬 O Teste de Substâncias dá-lhe uma análise inicial gratuita sobre a possibilidade de o desenvolvimento da criança poder ter sido afetado pelo consumo de alguma substância.

Faça um teste: será que o consumo de substâncias nocivas afetou a criança? 🍷🚬💊

Este é um assunto que a preocupa? Se desejar, pode introduzir aqui algumas informações sobre a sua situação pessoal. De seguida irá receber uma análise diretamente no seu ecrã!

📲 O teste dura cerca de 2 minutos! 

 

 

Primeiras semanas: a regra do tudo ou nada

Durante os primeiros 14 dias após a fecundação -  ou durante as primeiras quatro semanas da gravidez, se considerarmos que esta começou na data da última menstruação – aplica-se uma regra a que chamamos de “tudo ou nada”. De acordo com essa regra, se tiver consumido tabaco ou bebidas alcoólicas durante aquele período, não precisa de se preocupar com a hipótese do seu filho vir a nascer com problemas de saúde.

ℹ️ Porquê? Porque nos primeiros dias após a fecundação, o ovo ainda não chegou ao útero. Logo, o embrião ainda não recebe nutrientes do sangue da mãe. Além disso, durante esse período e por várias razões, o processo de divisão celular do óvulo fecundado pode ser interrompido. Se isto acontecer, é possível que este seja expelido juntamente com uma perda de sangue, ocorrendo um aborto espontâneo. De facto, uma célula que sofra danos durante as primeiras quatro semanas da gravidez, poderá regenerar-se ou ser substituída por outra. Mas se este processo não for bem sucedido, ocorre geralmente um aborto espontâneo, sem que se dê logo por isso. Assim, esta regra é conhecida como “tudo” (a gravidez prossegue normalmente, sem sequelas) ou “nada” ocorre imediatamente um aborto espontâneo.

 

Consumos no decorrer do primeiro trimestre da gravidez

Assim que uma mulher suspeita que está grávida, deve evitar todo o tipo de substâncias tóxicas.

Mas mesmo que tenha fumado, tomado medicação ou bebido álcool após as duas primeiras semanas de gravidez, não tem de haver motivo para desespero. Não há garantias de que o consumo de substâncias após a implantação vai, obrigatoriamente, prejudicar o embrião.

ℹ️ Se tem dúvidas relativamente ao seu consumo de substâncias durante a sua gravidez, é recomendável falar sobre o assunto com o seu médico.

 

Experiências de outras mulheres

Existem vários casos de mulheres que não se apercebem que estão grávidas durante vários meses. Normalmente dão à luz crianças completamente saudáveis, mesmo tendo consumido nicotina e álcool enquanto ainda não estavam conscientes da gravidez. De modo geral, podemos dizer que uma grande quantidade de álcool ingerida num fim de semana, por exemplo, pode ser significativamente mais perigosa do que umas cervejas tomadas esporadicamente.

 

Tabaco durante a gravidez

Para quem fuma regularmente, parar do dia para a noite pode ser muito difícil. Devido às alterações hormonais e aos enjoos típicos da gravidez, algumas mulheres perdem naturalmente o desejo de fumar. Mas o que acontece à criança, se a mãe continuar a fazê-lo? Talvez também se questione sobre o que pode acontecer caso o seu companheiro fume perto de si ou, por exemplo, caso esteja constantemente exposta ao fumo de outras pessoas no trabalho.

No início da gravidez, a mulher não precisa de se preocupar excessivamente. Porque, como já explicámos, quando ainda não tem conhecimento da gravidez, aplica-se o princípio do tudo ou nada.

No entanto, importa saber isto: fumar no decorrer da gravidez pode ser prejudicial para o desenvolvimento intra-uterino. Quando a mãe fuma, as substâncias tóxicas do cigarro também atingem o nascituro. Sem poder decidir, este é forçado a fumar também. Além de tudo, pode acontecer um aborto espontâneo, um parto antes do tempo ou o bebé nascer significativamente menor, mais leve e mais fraco do que o normal.

ℹ️ Por estas razões, é recomendável deixar de fumar, de preferência por completo. Mas também é evidente que a quantidade de tabaco consumido é relevante: é muito diferente a mulher fumar 20 cigarros por dia, ou apenas um.

No entanto, mesmo o fumo passivo ou outros tipos de consumo de tabaco (rapé, mastigação) podem levar a que o embrião não se desenvolva de uma forma saudável. Mesmo os cigarros electrónicos sem nicotina podem conter substâncias nocivas. Não é só a nicotina que importa.

Se as pessoas à sua volta fumam, é legítimo pedir que evitem fumar na sua presença ou que optem por fazê-lo no exterior.
Quando se fuma ao ar livre, é possível que algumas partículas do fumo se encontrem sobre o vestuário/cabelo, etc., mas a concentração é evidentemente inferior à existente quando está diretamente exposta ao fumo.

✅ Se pretende deixar de fumar, mas não sabe como, ou se sente necessidade de perceber melhor a necessidade de não fumar durante a gravidez, pode ser importante falar abertamente com o seu médico. Também pode ler o Guia SNS24 sobre Deixar de Fumar.

 

Álcool durante a gravidez

Tal como acontece com o tabaco, o consumo de álcool durante a gravidez pode ser prejudicial para o feto.

 

Porque o álcool prejudica o feto?

Durante a gravidez, mãe e filho partilham a mesma corrente sanguínea. Por isso, quando a mulher consome bebidas alcoólicas, a criança fica com o mesmo nível de álcool no sangue. No entanto, a capacidade do feto para decompor e expelir o álcool é menor que a de um adulto. Como resultado, a sua alcoolemia permanece elevada durante mais tempo, prolongando-se, igualmente, os seus efeitos prejudiciais.

Dado que o desenvolvimento embrionário ocorre ao longo da gravidez, formando-se as células e os órgãos, o fornecimento de nutrientes é particularmente importante e substâncias como o álcool podem atrofiar o crescimento. Está provado que o consumo de álcool na gravidez pode ter como consequência o surgimento de malformações ou perturbações do desenvolvimento a nível físico, neurológico e psicológico.

 

Como devo lidar com o álcool durante a gravidez?

O melhor a fazer é cortar com o álcool enquanto estiver grávida.

No entanto, se por acaso tiver bebido uma cerveja ou uma taça de espumante, não é caso para alarme, sobretudo nos primeiros dias por causa da já referida regra do tudo ou nada.

Também importa saber que a dose ingerida é relevante e determina o risco. Isto não significa, contudo, que haja um limite específico de consumo de álcool para as mulheres grávidas. Não se pode assumir que a criança não vai ser prejudicada só porque a dose é pequena, embora a probabilidade de isso acontecer reduza significativamente.

  • ✅ Sugestão: se tiver interesse em descobrir se o consumo de álcool afetou o desenvolvimento da criança, faça o Teste de Substâncias

 

Outras substâncias durante a gravidez

Todos os tipos de drogas devem ser evitados durante a gravidez, de modo a não prejudicar o desenvolvimento do bebé.

Se já consumiu drogas, pode ser um alívio saber que, no início da gravidez, este princípio do tudo ou nada também se aplica neste caso. Mas mesmo que tenha consumido alguma substância tóxica depois da quarta semana da gravidez, por enquanto pode respirar fundo.  Não há um risco de malformação automaticamente associado a qualquer tipo de drogas.

No entanto, o uso regular de drogas pode impedir a placenta de receber um fornecimento suficiente de sangue, o que pode originar abortos espontâneos ou partos prematuros. Também é possível que o bebé nasça com um défice de peso como resultado do consumo continuado de drogas.

A boa notícia é que, na maioria dos casos, não surgem complicações se os consumos cessarem a partir do momento em que a mulher descobre que está grávida.

 

Dependente de substâncias e grávida: há esperança! 

Se costuma consumir drogas ou álcool, provavelmente está a pensar em como lidar com esta gravidez. É possível que tenha medo de prejudicar o seu bebé mas, ao mesmo tempo, não saiba como deixar de consumir substâncias tóxicas.

Antes de mais, estar à procura de informação sobre este tópico e querer encontrar apoio é corajoso da sua parte e mostra sentido de responsabilidade! Esse pode ser o seu primeiro grande passo para melhorar a situação.

Como próximo passo, é altamente recomendável falar abertamente com o seu médico sobre este assunto. Ele vai poder ajudá-la a avaliar quais as drogas ou substâncias que precisam de ser descontinuadas de modo imediato, quais as que devem ser substituídas por outras, ou as que poderão ser toleradas de modo controlado. Esta avaliação deverá considerar cuidadosamente o que é realista para si e as opções que prejudicam o menos possível ambos os organismos (o seu e o do seu filho). Com uma boa supervisão médica, há várias maneiras de reduzir os riscos de saúde para a criança.

Se desejar, nós teremos todo o gosto em estar ao seu lado nesta fase especial. Em conjunto consigo, podemos procurar os caminhos possíveis para si. Talvez, pouco a pouco, até possa encontrar novas oportunidades para enfrentar estes desafios, tornando-se ainda mais forte.

 

O que podemos fazer por si

Talvez esteja agora a lidar com muitas ideias e emoções contraditórias entre si. Se calhar ainda não tem a certeza do que fazer em relação a esta gravidez... Temos todo o prazer em estar disponíveis para si nesta fase especial: podemos ouvir, informar ou, simplesmente, enquanto alguém exterior, partilhar consigo a nossa experiência de acompanhamento a mulheres que vivem gravidezes inesperadas.

Pode contactar-nos destas maneiras:

  • ⚖️ Sente-se perante a decisão: “Faço ou não um aborto?” – Nesse caso, o Teste do Aborto pode ajudá-la. 
  • 🤰 "Será que estou grávida?” — Faça aqui o Teste de Gravidez Online!  
  • Nestes testes, após receber uma análise imediata, pode ainda conversar gratuitamente com uma counsellor, se assim o desejar.

 

Outros artigos interessantes:

Considera que a informação neste artigo foi útil?