As 4 razões mais comuns para abortar

As 4 razões mais comuns para abortar

Porque as mulheres pensam em fazer um aborto?

Quais são as razões para abortar? Porque as mulheres pensam em interromper a gravidez, e quais são as suas preocupações principais? Com base na nossa experiência de acompanhamento de longa data, dizemos-lhe quais são as 4 razões mais frequentes. 

Neste artigo:

A nossa sugestão: aborto – sim ou não? – faça aqui o Teste do Aborto 

 

O que está por trás de uma crise na gravidez?

A decisão “Aborto – sim ou não?” dificilmente se torna presente na vida de uma mulher sem que haja uma razão forte e raramente é encarada de ânimo leve. Cada mulher que se encontra nesta situação, tem uma história particular. Trata-se de uma escolha com potencial para impactar o resto da vida dela, que lhe pede uma reflexão sobre o que deseja para o seu futuro. 

Geralmente, não existe uma razão isolada para que a questão do aborto se coloque e, por norma, existem circunstâncias complexas que influenciam a decisão a tomar. 

À primeira vista, as razões para abortar parecem ser rápida e facilmente reconhecíveis a partir do exterior: circunstâncias financeiras, razões médicas... nesse primeiro olhar, a gravidez inesperada parece ser um problema que traz consigo um conjunto de dificuldades. E estas parecem ser muito difíceis de ultrapassar. 

Um olhar mais atento, contudo, revela que a gravidez em si mesma não é  o problema principal. Na verdade, com frequência, a gravidez não planeada torna visível e evidente aquilo que, há muito tempo, era confuso. 

Uma crise de gravidez é, sem dúvida, uma situação desafiante. Mas também pode ser uma oportunidade para explorar as causas mais profundas daquilo que, num determinado momento, não está claro ou precisa de ser estruturado.

 

Estatística: as 4 razões mais comuns para abortar

Cada mulher, cada relação e cada gravidez são únicas. Mas existem situações que muitas mulheres vivem de modo semelhante. A informação estatística baseada na análise dos nossos muitos anos de trabalho no acompanhamento de mulheres grávidas em crise e a discernir a continuação da sua gravidez, permite-nos identificar as 4 razões mais comuns pelas quais as mulheres que nos contactam pensam em abortar:

 

Razão n.º 1: “Ele não quer o bebé”

Cerca de 30% das mulheres que nos contactam, pensam em abortar sobretudo porque a reação do pai do bebé é negativa. Perante uma gravidez inesperada, a maioria das mulheres precisa de apoio e do encorajamento do seu companheiro. Infelizmente, a reação inicial do homem é, muitas vezes, exatamente a contrária. 

No artigo Grávida e ele não quer o bebé pode descobrir porque os homens reagem dessa maneira, e de que forma pode lidar com isso. 

 

Razão n.º 2: “Estado da relação: é complicado”

O segundo motivo mais comum para abortar também está relacionado com o companheiro: a relação ainda é muito recente ou já terminou; o pai do bebé não é o atual companheiro; é mais uma “não-relação” do que uma relação... estas e outras preocupações semelhantes são relatadas por uma em cada seis mulheres que nos contactam por estarem a pensar abortar. 

O artigo Grávida e com uma relação instável oferece-lhe ideias sobre como lidar com essa situação. 

 

Razão n.º 3: "Eu preciso de estar disponível para os filhos que já tenho”

Uma em cada dez mulheres pensa em abortar devido à preocupação com os filhos que já tem. A nova gravidez revela, muitas vezes, que a mãe de uma ou mais crianças está, há muito tempo, no limite das suas forças devido aos vários desafios do dia-a-dia...

No artigo Sobrecarregada e grávida outra vez pode ler mais sobre este tema e sobre o que fazer! 

 

Razão n.º 4: “Na verdade, eu tinha planos completamente diferentes…” 

“A vida é o que acontece enquanto se fazem outros planos”. Esta é uma frase de postal, mas aplica-se a 7% das mulheres que nos contactam por estarem a pensar em fazer um aborto. 

O artigo Grávida na altura errada dá-lhe sugestões para lidar com esta notícia inesperada. 

 

 

Aproveite e descubra: razões para abortar e para não abortar…

Talvez se tenha identificado com as vivências que descrevemos acima. Ou talvez a sua história seja muito diferente. Em todo o caso, nas suas circunstâncias particulares, vale a pena informar-se sobre as causas óbvias e menos óbvias que a podem estar a fazer ponderar a hipótese de abortar. 

Nesse sentido, a situação atual inquietante pode tornar-se para si uma oportunidade para:

  • Tornar-se mais consciente daquilo que, na vida, é realmente importante para si. 
  • Construir a sua relação e assim aproximar-se ainda mais e mais profundamente do seu companheiro. 
  • Descobrir pelo que vale a pena viver e lutar – e construir as bases para isso. 
  • E, acima de tudo, passar a cuidar bem de si própria, apesar de todos os problemas. 

 

 Se está a passar por este processo e a debater-se com os motivos para abortar ou não abortar, por favor contacte-nos! Temos todo o gosto em acompanhá-la nesta situação desafiante e descobrir, consigo, como pode transformar esta situação numa oportunidade! 

Tem as seguintes opções para entrar em contacto connosco

 

Também pode estar interessada nestes artigos: 

Considera que a informação neste artigo foi útil?