Quero ter a criança: como dizer ao meu companheiro?

Quero ter a criança: como dizer ao meu companheiro?

1702088041 | fizkes | shutterstock.com

6 ideias para si

Uma gravidez é sempre uma situação especial numa relação... Especialmente quando se coloca a hipótese do aborto.

Enquanto futura mãe, talvez perceba, pouco a pouco, que não quer carregar o peso de um aborto no seu coração. E quer prosseguir com a gravidez. Para o seu parceiro, no entanto, a decisão pode não ser tão clara. Ele pode não querer a criança.

Como lidar com esta situação? Como encarar o seu companheiro neste momento, de maneira a manter-se fiel a si própria e, ao mesmo tempo, poder ter em conta a sua opinião? Será que há esperança na vossa relação? Reunimos 6 ideias para si com base na nossa experiência de acompanhamento.

Dica para tomar uma decisão: ⚖️ "Aborto: sim ou não?" – Faça o Teste do Aborto

1. Cuide bem de si

Antes de mais, deve garantir que, nesta fase delicada, tem sempre momentos para encontrar novas forças. Afinal de contas, a gravidez é uma situação particularmente sensível, que consome muita energia. Autorize-se a tomar tempo só para si no seu dia a dia: para dormir o suficiente, ler um bom livro, dar um passeio ou o que quer que seja que lhe dê forças.

Rodear-se das pessoas de quem gosta, em quem confia e que lhe dão coragem e apoio pode ser especialmente positivo: um bom amigo, os seus pais ou outros familiares que a apoiem na sua decisão.

2. Seja sincera com ele

Saber qual é a sua posição pode ser muito importante para o seu companheiro. Se ele estiver consciente que, mesmo com preocupações e receios, a sua vontade é prosseguir com a gravidez e não quer fazer um aborto, pode ser mais fácil para ele juntar-se à sua corajosa decisão e, progressivamente, assumir as suas responsabilidades.

Talvez ele ainda não consiga ver isso assim, mas a sua vontade de ter o filho dele é, no fundo, um grande sinal de amor pelo seu companheiro.

3. Mostre-lhe como ele é importante para si

Conscientemente ou não, muitos homens têm medo de perder o primeiro lugar na vida da sua companheira, ao terem filhos em conjunto. Se você estiver especialmente presente na vida do seu companheiro nesta fase, poderá ajudá-lo a sentir-se aliviado, contrariando a preocupação que possa existir de “ficar para segundo plano”.

Isto pode ser muito difícil para si, porque a reação dele à sua gravidez pode ser sentida como uma rejeição do filho ou de si própria. Ou porque, como muitas mulheres, gostaria que ele a apoiasse desde o início.

No entanto, pode tentar mostrar afeto ao seu companheiro através de pequenos gestos: uma palavra amável, uma pequena carta, a sua comida preferida, um pequeno presente, uma atenção... Este tempo e esforço são sempre um bom investimento e, na maior parte das vezes, não se fazem em vão! Lentamente, podem ajudar a ultrapassar a preocupação e a rejeição.

4. Dê-lhe tempo

É especialmente importante que um homem não se sinta pressionado nesta situação. Isso vai ajudá-lo a habituar-se à mudança e a esta situação completamente nova.

É recomendável dar-lhe tempo e espaço para ele se reconciliar consigo próprio. Quanto menos disser a um homem como se deve sentir ou comportar, mais depressa ele vai encontrar a sua própria maneira de agir adequadamente. Passado algum tempo, muitos futuros pais mostram-se gratos à sua companheira por não se ter deixado perturbar no início da gravidez, mas por terem sabido seguir o seu próprio caminho, mantendo ao mesmo tempo a fidelidade à relação dos dois.

5. Tente compreendê-lo

Numa situação tão desafiante, ser compreensiva com o pai do bebé pode não ser muito fácil para si. E isso é completamente aceitável!

Mas, provavelmente, há grandes preocupações e medos escondidos por trás da reação dele ou do tom áspero. Talvez ele gostasse de lhe falar sobre o que se passa dentro dele neste momento. Seria possível procurarem soluções em conjunto? Ou talvez ele precise de alguém de fora para conversar?

6. Respeite os seus limites e os dele

Pode sentir – como tantas outras mulheres – que está apenas a andar em círculos sobre este assunto e que é praticamente impossível ter uma conversa calma sobre o que está a passar. Se for esse o caso, evitar o assunto em casal durante um tempo pode ajudar. Para alguns casais, tem sido útil passarem um tempo afastados e manterem alguma distância. Será um tempo que cada um terá para si próprio, ou para combinarem encontros num ambiente neutro e descontraído...

É legítimo e sensato respeitarem os próprios limites e ouvirem as próprias necessidades. Até porque uma separação no espaço não tem de significar uma separação na relação. Pelo contrário, pode ser uma ajuda para que ambos clarifiquem as próprias ideias e encontrem paz.

Outra opção que pode ajudar é procurar aconselhamento conjugal profissional. Por vezes, o facto de um casal olhar para a sua relação com um estranho, ajuda a identificar comportamentos destrutivos, trabalhando-os de maneira a continuarem juntos de um modo completamente diferente.

Uma situação difícil, ou uma oportunidade?

Provavelmente esta situação é especialmente difícil para si. Talvez até seja quase um desespero... e isso é perfeitamente compreensível!

No entanto, no caso de muitos casais que passaram por algo semelhante, esta gravidez transformou-se numa oportunidade para superar uma crise, tornando-os mais fortes e ainda mais próximos. Muitas vezes, passada a crise, as mulheres que acompanhámos dizem-nos o quanto valeu a pena lutarem um pelo outro, e que nunca poderiam ter sonhado com um desfecho tão bom e tão bonito: formarem uma pequena família, como a que têm agora.

Se desejar apoio e alguém que a acompanhe na atual situação difícil, sinta-se à vontade para contactar as nossas counsellors! Contacte-nos através de uma destas opções:

Outros artigos interessantes:

Considera que a informação neste artigo foi útil?